Existe uma nuvem gigante de gás cósmico em rota de colisão com a Via Láctea

De acordo com os astrônomos, Andrômeda e a Via Láctea devem se encontrar dentro de 4 bilhões de anos e protagonizar um espetacular choque galáctico. No entanto, segundo Dom Galeon, do portal Futurism, muito antes de isso acontecer, outra estrutura espacial trombará com os limites da nossa galáxia. Mas, não se preocupe, pois isso só deve ocorrer dentro de 30 milhões de anos, portanto, até lá não sabemos sequer se a humanidade continuará existindo!

Pesquisadores da NASA que acompanham as explorações do telescópio espacial Hubble descobriram que uma massa de gás cósmico chamada Nuvem de Smith está se movendo a 1,1 milhão de quilômetros por hora na direção da Via Láctea. Para você ter uma ideia, essa estrutura errante conta com 11 mil anos-luz de comprimento e 2,5 mil anos-luz de largura — onde 1 ano-luz equivale a cerca de 9,5 trilhões de quilômetros —, portanto, a nuvem é imensa.

Trombada gasosa

Segundo Dom, a nuvem foi descoberta em meados dos anos 60 por um astrônomo holandês chamado Gail Smith, e os cientistas estimam que ela se formou há cerca de 70 milhões de anos. Além disso, devido à composição da estrutura — rica em enxofre —, é possível que ela originalmente fizesse parte da nossa galáxia, mas, por alguma razão, acabou sendo expelida.

Imagem mostra o que os astrônomos esperam que aconteça dentro de vários milhões de anos

Só que a nuvem decidiu voltar para a Via Láctea, e a colisão está prevista para acontecer dentro de aproximadamente 30 milhões de anos, e é pouco provável que algum terráqueo — se é que restará algum por aqui até lá! — sofra qualquer consequência com o choque. Isso porque a trombada deverá ocorrer nos limites da nossa galáxia.

Por outro lado, se a humanidade continuar existindo, quem estiver por aqui poderá presenciar um verdadeiro espetáculo de luzes no céu e testemunhar o nascimento de cerca de dois bilhões de novas estrelas. Vai dizer que agora você não ficou com vontade de estar vivo para assistir a um evento como esses!

Trajetória da Nuvem de Smith

Ainda segundo Dom, o pessoal da NASA a nuvem serve de exemplo de como a nossa galáxia está evoluindo ao longo do tempo. Em outras palavras, ela demonstra como a Via Láctea, ao contrário do que possa parecer, é um local superativo, e revela a forma como ela está reciclando seu próprio material através de nuvens de gás para dar origem a novas estrelas.

Fonte: MegaCurioso